terça-feira, 14 de agosto de 2012

Litoral paulista de fio a pavio - cicloviajando III

De Peruíbe a Guarujá-SP, via Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, São Vicente e Santos. Todas cidades do Litoral Sul paulista.





(Clique  nas fotos para ampliar)



E lá vamos nós!

Depois de dormir uma noite num colchão de verdade, num quarto com direito a tv e outros luxos, acordei com um sorriso de orelha a orelha. Como se tratava de pouso em um Hotel, a bike permaneceu com sua carga quase inalterada, o que facilitou sobremaneira a minha saída.
Não havia café da manhã, pois esse só é oferecido aos hóspedes na alta temporada. 
Como estava no centro de Peruíbe, padarias por perto era o que não faltava. Corri para uma delas tomar o meu café da manhã, pois teria um pedal longo pela frente. Longo sim, mas com um relevo planíssimo.
Logo peguei a Rodovia Pe. Manoel da Nóbrega, seguindo em direção a Itanhaém, a próxima cidade.

Olha só o estradão plano e monótono.



Confesso que o trecho de Peruíbe a Itanhaém, pedalado pela estrada asfaltada não tem grandes atrativos.  De Itanhaém para frente, buscando pedalar nas ciclovias ao longo das praias, as paisagens são melhores e muito mais bonitas.












Visão de cima da ponte, olhando no sentido praia.










Parei para bater um papo com um cidadão que indagara de onde eu vinha. E quando eu disse de onde eu vinha e para onde ia ele quase caiu de costas! Achei engraçado quando ele disse que nem de carro teria tanta disposição para fazer o mesmo percurso.







O vento estava forte e favorável, permitindo uma média alta e... ah, não acredito! O ciclocomputador morrera! Como se eu o houvesse zerado partira do nada. A princípio fiquei irado, mas ao final comecei a rir da própria desgraça e ver o danadinho apagar e voltar durante todo o resto da viagem passou a ser um divertimento.

Mas, voltando ao clima, havia prenúncio de chuva. O céu estava totalmente encoberto. Bom, já que o vento está favorável, até que a chuva não venha, vamos sentar a bota!



Aqui eu entrei para Mongaguá para pedalar pela ciclovia, beirando o mar.



Engraçado que eu não lembrava que Mongaguá era tão pequeno! Parei num bar para tomar um café e comer um salgado. Saí, dei algumas pedaladas e quando percebi já estava em Praia Grande! Incrível!






A perfeita educação desse motorista deve ser mostrada para o mundo!






Por várias vezes pensei em sair para a Av. Kennedy e pedalar pela sua ciclovia, mas o tempo estava querendo garoar, quase não tinha ninguém nas praias, o caminho estava livre, assim permaneci nesta ciclovia mesmo.




Prédio abandonado de frente para o mar! Um luxo!!!






Opa, cheguei na Cidade Ocian! 




Parei para almoçar. Talvez o tridente tenha me lembrado um garfo, hehehe! Um belo PF por R$ 11,00. E aí a chuva chegou... Chuva fria... barriga cheia... com um ventinho gelado de doer na alma.., nessas horas fica difícil pedalar. Peguei uma blusa impermeável  no alforge e mudei o rumo para a Av. Kennedy, pois ali, longe da praia, eu pelo menos estaria mais abrigado do vento.

O ciclocomputador, debaixo da chuva, morria e ressuscitava. Eu ria e dizia para mim mesmo: Dinheiro jogado fora! Como pode uma "empresa" fabricar tamanha porcaria!




Ponte Pênsil que irá me levar para São Vicente.






A estátua do pescador.




Teleférico.




Coisa linda! Me sinto honrado!



Será que a estátua não sente frio?



Andei muito de bonde na minha adolescência. Hoje ando de bike!




A chuva ficou um pouco mais forte, mas não parei de pedalar. Cheguei na Ponta da Praia em Santos-SP e estava saindo uma balsa de ciclistas para o Guarujá. 
Vi um pai exortando o filho, ambos de bike, a pedalar mais rápido para não perder a balsa. Consequência: O menino bateu na lateral do ônibus ao atravessar a rua pedalando. Corri para acudir o menino enquanto ouvia o pai gritar desesperado. Meu filho, meu filho!!! E jogava a bike dele(pai) no chão. Coitado, praticamente tive que acudir o pai, avisando-lhe que nada acontecera de grave, pois ele estava num ângulo que não podia ver o que acontecera realmente. O menino saíra ileso e nós três chegamos a tempo de entrar na balsa e a rampa subir. Ufa, foi por um triz!!!

Guarujá-SP! Nem deu para tirar fotos, pois a chuva estava muito forte.
Com pouco mais de 100 Km pedalados, logo cheguei na casa da Mi, nossa amiga de cicloturismo. Coitada saiu na chuva para me receber numa praça bem próxima á sua casa!

Guardei a bike toda molhada na garagem e fui tomar um banho quente.


A Michelle e eu.



 Da esquerda para a direita, a Mi, eu e a Thamires.



 Nesta foto, a Thamires está tentando me converter ao "suinismo",  colocando sobre mim a camisa do Palmeiras, hehehe. Mas, antes que a máquina disparasse  o flash, a Dara - Cachorrinha - veio em meu socorro e saltou na frente!



A minha noite terminou degustando uma bela e apetitosa macarronada preparada pela Thamires. Hum... só de escrever já meu deu água na boca!
Thamires, vou voltar hein!

Com duas anfitriãs assim, me tratando tão bem, quase  não continuei a viagem no dia seguinte!

Ainda deu tempo de entrar em contato com o Vinícius, o amigo biker de São Vicente-SP, e marcarmos encontro para o dia seguinte, no Guarujá, de onde ele me acompanharia até a Praia de Boiçucanga, em São Sebastião-SP.

Bom, mas isso é uma outra história. Quem acompanhar a próxima leitura ficará sabendo como foi esse nosso pedal até Boiçucanga.

Só para dar água na boca:







Abraços do...




3 comentários:

Bikelando disse...

Meu caríssimo amigo,
Delícia de relato (como sempre). Lembro de você chegando aqui todo molhado, meus amigos da GCM ficaram assombrados com sua disposição! O Antigão é Duracell, até o ciclo apaga mas ele tá sempre cheio de energia! rsrs
Muito bom te ver recuperado, aventurando-se e nos presenteando com essa visão bem humorada sempre!

PS: Dara se mandou dizer que de modo algum poderia deixar um senhor tão educado, fino e elegante ser convertido ao suinismo e manda lambeijos. ;-)

elton disse...

hola, chamigo!
apreciando por aqui a tua aventura!
belas chapas!
gostei mesmo foi de ter ver vestido de POOOOOOOOOOORCO!!!!
agora tá completo kkkkk
abraços
Elton Xamã

Waldson Gutierres (Antigão) disse...

Obrigado Mi, obrigado Elton pelas palavras maravilhosas. Adorei estar em sua casa, onde fui recebido com muito carinho e amizade sincera, Mi.

Você viu, Elton, aquela menina querendo transformar um Bambi num Porco! Onde já se viu uma coisa dessas!

Grande abraço.