domingo, 23 de outubro de 2011

Faça você mesmo o seu bagageiro traseiro para cicloturismo. Dicas.


Olá pessoal.

Um dos grandes problemas dos cicloturistas brasileiros é a falta de acessórios nacionais para cicloturismo.
O bagageiro é um dos itens mais importantes no cicloturismo. Tudo carregamos sobre ele: Alforjes carregados, colchonete, saco de dormir, barraca e outros apetrechos.
No mercado brasileiro encontramos alguns modelos de bagageiros destinados ao cicloturismo, normalmente confeccionados em alumínio, que além te ter um grande histórico de quebras, são limitados ao transporte de no máximo 25 Kg de carga.
Há tempos eu vinha pensando em fugir desses bagageiros e confeccionar o meu próprio bagageiro em aço, mais resistente e mais confiável. Em 2009 usei um bagageiro de aço, desses bem baratinhos, para fazer um ciclotur com destino ao Rio de Janeiro. Notei que o bagageiro seria o ideal, caso fosse um pouco mais longo, pois por vezes bati os calcanhares nos alforges.
A base foi este bagageiro em aço, vendido baratinho em qualquer bicicletaria de bairro. Normalmente são zincados.
Esses bagageiros, embora sejam bem reforçados, possuem apenas 30 cm de comprimento, enquanto os bagageiros para cicloturismo têm em média 38 a 40 cm.

<KENOX S860  / Samsung S860>

Este foi o que eu usei em 2009 e que agora será usado como “extensão” neste projeto.

Lanterna3

PICT0030

Então o que eu precisava fazer seria emendar o bagageiro para torná-lo mais longo e ao mesmo tempo reforçá-lo um pouco mais. O ideal foi comprar um outro idêntico por R$ 15,00 e de dois fazer um com as medidas, reforços e adaptações necessárias.
Peguei então o bagageiro antigo e serrei 8 cm da parte traseira do mesmo, junto com as hastes, as quais seriam usadas como reforço e proteção para que os alforges não toquem as rodas.

<KENOX S860  / Samsung S860>

<KENOX S860  / Samsung S860>

Sobreponha a extenção sobre o bagageiro A e serre os ferrinhos laterais, que ficarão mais compridos, de maneira que as pontas dos ferros do bagageiro A e da extenção se encontrem certinhos para a soldagem.

Extenção_2

Após dobrar as hastes da extensão, encoste-a no bagageiro A e serre as sobras, ou solde a parte de cima primeiro para depois serrar as sobras, como queira.
Se usa freio a disco, faça a dobra abaixo (lado esquerdo) de maneira que a haste não toque na pinça de freio. Após essa dobra, peça para o soldador reforçar com solda no local da dobra, evitando possíveis quebras em locais de fissuras quase imperceptíveis.

DSC01287

Uma vez soldado, o bagageiro ficará assim:

IMG00082

IMG00083



Reforços nas hastes originais e na parte que foi dobrada:

IMG00084


As hastes que prendem o bagageiro á parte de cima do quadro deverá ser ajustada de acordo com o quadro em que o mesmo será instalado. Pode-se prendê-lo á blocagemn do selim, no caso de quadros que não ofereçam suporte para bagageiros. Ou essas hastes devem ser dobradas até alcançarem a furação no quadro, como foi feito no meu caso. Para tanto, será necessário prender o bagageiro á morsa e ir curvando, acertando as pontas até ficar na medida desejada.

O preparo para a pintura deve ser feito com lixa 80, removendo toda a parte “cromada / zindada”, borras de solda, etc. Se ficar alguma rebarba de solda, esta deve ser removida com uma lima antes de lixar

IMG00089

Duas a tres demãos de fundo cinza em spray irão deixa-lo pronto para o acabamento final.

IMG00087
IMG00091

Deixei para aplicar o preto fosco somente no dia seguinte. Também umas duas a três demãos.

DSC01284

DSC01285


DSC01286


O bagageiro ficou com 38 cm. Muito parecido com o Wencum, em alumínio.
Agora vamos ver as fotos do bagageiro instalado.

DSC01288

Sugiro que a instalação  seja efetuada com parafusos padronizados em aço, do tipo Allen. Isso é importante, pois em viagens basta levar um jogo de chaves Allen e você pode efetuar os mais diversos reparos em sua bike.

Na foto abaixo a haste do bagageiro não encosta na pinça do freio a disco.

DSC01290

Observe que, com os alforges montados, há  distância  sufiente para que os calcanhares não resvalem nos mesmos, no momento da pedalada.

DSC01294

DSC01292

Entre o selim e o alforge ainda sobrou espaço para a barraca, ou o colchonete, ou saco de dormir, ou qualquer outra tralha que precisemos levar. Smiley piscando

Não vou por os preços, pois eu tinha a maioria das ferramentas e materiais. Ademais, o soldador é um amigo e me cobrou bem baratinho. Mas qualquer oficina de funilaria pode efetuar esse serviço de solda por um valor bem pequeno. Não é nessessário se utilizar de solda Mig / Tig, que são caríssimas.

Obs.: Quando troquei de Alforge, usando um mais longo, notei que os 17 cm propostos ficaram curtos, de maneira que o alforge tendia a ir para dentro da roda. Assim, sugiro que aumentem essa medida para uns 28 cm, ou meça antes a altura do seu alforge, para então definir a medida exata do comprimento dessa haste.

E, plagiando um bagageiro Wencun que possuo, reforcei-o, conforme se pode ver na linha em vermelho da imagem abaixo.




Ou, para ficar melhor ainda, como na foto abaixo.



Na parte traseira ainda irei instalar a iluminação, destinada a segurança.

Ferramentas usadas:
  • Um arco de serra.
  • Uma morsa nro. 3.
  • Uma lima chata.
  • Um martelo.
Meterial:
  • Dois bagageiros.
  • Solda oxi-acetileno.
  • Uma folha de lixa 80 (para ferro).
  • Um spray de primer cinza para fundo.
  • Um spray de preto fosco para acabamento.

Quem sabe você também gostaria de ver ... "Instalando bagageiro dianteiro Tranz-X CD 220" 
Ou ... "Montei minha nova Estradeira - Partes de I a IV"

Grande abraço do…

Antigão

16 comentários:

W0LVER1NE_MG disse...

Muito bom o tutorial, Waldson. Bagageiro simples de fazer, barato e muito robusto (dificilmente alguém conseguirá quebrar um desses, mesmo levando muita carga)

Tudo de bom aí!

elton disse...

Antigão,
assim fica fácil fazer kkkkk
abração
Elton aXamã

Adriano disse...

olá,por acaso você saberia informar o peso deste bagageiro depois de pronto? Sabe que se esse modelo fosse fabricado em escala industrial seria uma ótima opção para os cicloturistas. A minha Soul SL100 tem furação para freio a disco,porém eu uso freios V-break,será que se eu fizer um igual ele caberá certinho na bike? Obrigado pela atençãoe parabéns pelo blog!!

Emílio Dolgener Cantú disse...

Bah, cara, muito legal! E deve aguentar muito. Eu tinha feito algo bem parecido, mas o acabento não estava tão bom quanto o teu. E atualmente, uso um desses bagageiros baratos também, sem extensão. Se meus alforges novos não caberem bem neles, faço a tua adaptação.

e.
Chinelo&Meia

Ivy Castro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ivy Castro disse...

Olá Waldson, venho acompanhando seu Blog a algum tempo mas somente hoje faço meu primeiro comentário aqui. Em primeiro lugar queremos te parabenizar por dividir conosco essa ideia do bagageiro...sensacional...e fizemos os nossos com base no seu projeto, aumentando um pouco conforme sua última orientação...Adoramos o resultado!!!!!! Veleu mesmo!!!! E aproveitamos também para te dizer, eu e meu marido Raul, que caso venha pedalar aqui pelas bandas da Região dos Lagos no RJ, que teremos um grande prazer em recebê-lo!!!!!
Ah sim, e aproveitando ne já sendo chata, procuramos a tal abraçadeira de borracha e não encontramos...sabe dizer se tem algum site que venda???? Abs.

Waldson Gutierres disse...

Olá Adriano! Desculpe a demora da resposta. Desculpe mas não consegui ver a relação da furação da pinça do freio a disco com o bagageiro. Se o quadro tiver furação para para-lama e você não usar, pode usar o furo que dará certo. No caso do furo da pinça é de um lado só, no quadro. O que você pode fazer é usar abraçadeiras para prender a parte de baixo do bagageiro. Pode usar as abraçadeiras borracha que eu cito sempre como utilíssimas para esse fim, ou uma outra, desde que proteja o quadro com um pedaço de câmara de ar para não riscar.
Esses bagageiros aceitam umas entortadas, desde que de leve. Portanto você consegue fazer com que as hastes cheguem onde você quer.
O peso exato não sei, mas estou para retirar o meu para pintar novamente aí aproveito e peso. Não fica tão pesado não; vale uns gramas a mais.
Abraços e obrigado por nos prestigiar.

Waldson Gutierres disse...

Oi Ivy Castro! Obrigado por seus comentários. Note que o comentário que eu removi foi um que estava repetido. Havia dado pane no meu Navegador e eu não percebera.
Quanto às abraçadeiras, tenho notado que muita gente procura e não encontra essas abraçadeiras. Desconheço lojas on-line que as venda, infelizmente. Contudo, como disponho de tempo, a partir da semana que vem irei montar uns kits com essas abraçadeiras e vender via Internet ou Mercado Livre para o pessoal, principalmente quem mora em cidade pequena do interior onde não há grandes casas de ferragens com essas abraçadeiras disponíveis. No Kit pretendo colocar um par de abraçadeiras (vou me certificar das medidas mais usuais) e dois parafusos Allen de 4 mm, em aço, com arruelas e porcas auto-travantes. Creio que isso irá ajudar o pessoal que quer instalar bagageiro ou para-lamas em quadros que não disponibilizam a furação para a instalação dos mesmos.

Grande abraço!

Rafael Carvalho disse...

Boa tarde! Parabéns pelo blog e pelo tutorial. Será que funcionaria na minha Tito Urban, veja o link dela aqui. Ela tem paralamas, acho que isso pode atrapalhar. Abraços!

Waldson Gutierres disse...

Olá Rafael, bom dia!

Primeiramente obrigado por prestigiar o nosso Blog. Espero que volte sempre.

Pelo que vi da sua bike, no quadro junto ao eixo já tem os furos para instalar para-lamas e bagageiro (podem ser instalados na mesma furação). Na parte de cima (stays) não dá para ver exatamente como é, mas não vejo problemas, pois se não der para prender direto nos stays pode prender na blocagem do selim. Quando eu instalei numa Caloi Aspen fiz assim e ficou jóia.

Os para-lamas não atrapalham em nada, é só ajeitar e fixar junto com os parafusos do para-lama, como eu já disse acima. Primeiro o bagageiro, depois a haste do para-lama. Assim fica bem firme, já que quem pega peso é o bagageiro e não o para-lama.

Como sou diplomado pelo SENAI em solda elétrica e acetileno, bem como ajustador mecânico, devido a escassez desses bagageiros no mercado brasileiro, estou pensando em fabricá-los artesanalmente e vendê-los. Creio que no início do ano já começo a mexer com isso.

Grande abraço e mais uma vez obrigado!

azul.dragao disse...

Olá Antigão, tudo bem contigo?
sempre acompanho seu blog e estou montando um bike com o Rally-USA, porém, como há muita ecasses de bagageiros estou pretendendo usar o seu projeto para colocar na bicicleta, apenas me restou uma duvida. Esse bagageiro convencional em aço usa a abraçadeira do canote e eu percebi que você utilizou a furação do seu Rally própria para isso, no caso entortou perfeitamente o bagageiro, gostaria de saber como esse procedimento foi feito, fiquei com a dúvida nesta parte. No mais é isso aí, espero que faça artesanalmente para revender, mas no caso contrário eu mesmo irei fazer o meu. Abração! Aguardo a resposta!

Waldson Gutierres disse...

Falou amigo Azul Dragão! Obrigado por prestigiar o nosso Blog!

Então, amigo, andei com uns problemas de saúde, os quais atrapalharam um pouco os meus projetos. Ainda não estou 100%, tanto que hoje mesmo fiz uma ressonância magnética da coluna lombar, á pedido do médico ortopedista. voltei a sentir muitas dores no local da cirurgia.

Bom, quanto ao dobrar as hastes de cima, para prender nos olhais do quadro Rally, você faz o seguinte: Instale o bagageiro na hastes de baixo. Em seguida pegue um pedaço de cano e enfie a haste superior dentro e vá forçando até ver que ela chegou na altura do olhal. Coloque o parafuso Allen, com uma arruela e o aperte. Faça isso com a outra haste. Pronto! Fácil, não?!
Só verifique para os olhais das hastes bara certinho com os olhais (furos) do quadro, de maneira que não fique preso forçado.

Uma dica que eu peguei há pouco tempo, refazendo mentalmente o projeto, é não soldar mais com oxi-acetileno. Acho que o calor destempera um pouco a ferragem. Os próximos vou soldar com solda elétrica (eletrodo).

Então é isso.

Para ajudar o Antigão, se você gosta de usar boné por baixo do capacete ou mesmo em outras atividades esportivas, vou postar no Blog os bonés a prova de chuva que estou preparando. São bonés de algodão, portanto respiráveis, mas que não permitem que a água da chuva molhe a sua cabeça. Para quem usa óculos, de ciclismo ou de grau, é bom porque a aba do boné sendo impermeável, não permite que as lentes fiquem encharcadas.

Grande abraço, um feliz Natal e um Próspero Ano Novo!

Ramon Cardeal disse...

Muito bom a adaptação, vou fazer um igual essa semana. tenho algumas dúvidas:
1. O fato de ter dobrado somente uma das bases na parte de baixo, não deixa o bagageiro fora do eixo central(ou como dizemos por aqui, troncho)?
2. Como fez para dobrar as varetas de ferro e também a base?

Ramon Cardeal disse...

Olá, Muito bom sua adaptação, tentarei fazer um igual essa semana. Tenho duas dúvidas que axo q vc possa me ajudar?
1. O fato de ter dobrado somente uma das bases em baixo, nao deixa o bagageiro fora do eixo central(troncho)? Estou pensando em dobrar as duas bases
2. Como vc fez as dobras das varetas de ferro e da base em baixo?


Desde já agradeço.

Waldson Gutierres disse...

Olá Ramon, obrigado pelo contato.

Ocorre que as hastes a que você se refere têm dois furos cada uma. De maneiras que eu dobrei um lado mais longo fazendo ficar na mesma direção do lado mais curto (furos) e serrei o excedente do lado mais longo. Ficou perfeitamente equilibrado. Quando você adquirir os bagageiros "in natura" vai perceber isso com mais facilidade.

Grande abraço!

Rubens Mendonca disse...

Tudo bem, Antigão?

Meu amigo, pegarei a estrada em 15 dias.
Olha só: www.factivel.com/a-rota
Você chegou a comercializar o bagageiro ou ficou apenas na ideia? : - )
Se sim, qual é o custo? A minha bike é uma Trek 920, cromoly, v-brake.

No aguardo, muito obrigado.