terça-feira, 1 de novembro de 2011

Bursite no quadril – Quer mais?

Smiley surpreso

 
Olás povo bão!

DSC01060


Dia 21/10, uma sexta-feira, diante de muitas dores que eu estava sentindo no quadril, fui ao médico em busca de respostas.



Dias antes o fisioterapeuta me alertara que as dores que eu estava sentindo nada tinham a ver com a cirurgia de coluna pela qual eu passara. Chegou a comentar que mais parecia um problema de Artrose na cabeça do Fêmur.
Bom, chegando ao consultório médico fui examinado pelo mesmo médico ortopedista, especialista em coluna, que me operou, e lá veio o triste diagnóstico: Bursite no quadril!!!
Será que eu estava ouvindo direito? Se já não bastassem as dores do pós-cirúrgico da Artrodese eu ainda teria que suportar mais essa?! Só Deus por misericórdia!!! Smiley surpreso
Estou realmente na “fase do Condor”, pensei eu! Smiley triste



O médico fez uma “infiltração” com medicamento anti-inflamatório e mudou dados na solicitação da fisioterapira, abrangendo também a parte afetada pela bursite.



De lá para cá, já se passaram vários dias e as dores na perna esquerda, da barriga para baixo até a ponta do dedão do pé só vem aumentando. Uma espécie de calombo já se formou no quadril e doi pra burro!!! Smiley chorando
Levanto da cama quase sem dor, mas á medida que vou me exercitando durante o dia a dor vai aumentando. Dependendo do que faço durante a manhã, me vejo obrigado a deitar-me um pouco a tarde para amenizar a dor.

Se pedalar já estava totalmente fora de cogitação em 2011, agora ferrou!!! Peço a Deus que me livre de mais essa logo! Só Ele mesmo para intervir a meu favor!
No mais, a recuperação da cirurgia corre normalmente. Pensei que fosse mais rápida, mas tudo bem, aos poucos a gente chega lá.

Enfim, nada acontece por acaso. A Escritura Sagrada diz que nem uma folha sequer cai se não for da vontade de Deus.
Assim, aguardemos a vontade do Pai e no tempo certo voltaremos ás prazerosas pedaladas. Smiley piscando

Abaixo, segue um texto que nos dá uma idéia do que é uma bursite no quadril. É uma boa dica para quem pedala bastante e talvez sinta dores no quadril. Espero que eu seja o único.

Abraços do Antigão!

Antigão de reclinada
 
Bursite no Quadril
Engana-se quem pensa que alguns problemas limitam-se a uma determinada região. Por exemplo, a bursite. Muitas pessoas acreditam que a bursite é algo que só ocorre no ombro, o que é um erro, pois no quadril também há a presença de uma Bursa que pode se inflamar e ocasionar a Bursite. Saiba mais sobre a bursite no quadril.
 

O que é?

Bursa é uma estrutura que está fixada nas articulações e tem como função a lubrificação para diminuir o atrito entre as estruturas que estão presentes em toda a articulação. Quando essa Bursa ou bolsa sinovial está inflamada é provoca o que chamamos de bursite, que é o que ocasiona as dores e prejudicam na função da articulação, causando diversos prejuízos principalmente em casos de afetar atletas.
O quadril é formado por cabeça do fêmur e cavidade acetabular da pelve. O quadril é uma articulação que tem como função transferir o peso do corpo do tronco para os membros inferiores, também possibilita a mudança de diversas posturas, permitindo que o corpo adote certas posturas e realize certos movimentos, como andar e correr. O impacto causado frequentemente no quadril e proporcionando atrito entre as estruturas, faz com que haja a inflamação da Bursa, ocasionando na bursite, lesão muito comum no quadril.
 

Tipos de Bursite

Existem três tipos de bursite, ou melhor, três localidades em que as bursites de quadril podem ocorrer, a bursite troncantérica, bursite isquiática e bursite iliopectínia. Conheça cada tipo agora.



Bursite trocantérica
Dentre as bursites do quadril, a bursite trocantérica é a mais comum. A inflamação ocorre na Bursa que está localizada no trocanter maior do fêmur. O trocanter maior é um acidente ósseo aonde está localizada a inserção e por onde passam alguns músculos como glúteo médio e o tensor da fáscia lata. Entre esses dois músculos está localizada a Bursa. A inflamação da Bursa pode ocorrer por um trauma direto ou por alguma sobrecarga que gera um estresse.


Bursite Isquiática
Essa Bursa está localizada entre a tuberosidade do ísquio e o músculo glúteo máximo. Essa bursite é característica de pessoas que passam grande parte do seu tempo sentadas. O aparecimento dessa Bursa em atletas é na maioria das vezes causada por trauma direto.
Sinais Clínicos: O paciente vai apresentar dor na região lateral do quadril região do trocanter). Pode haver irradiação para parte lateral ou póstero – lateral da coxa. Dor é gerado pelos movimentos do quadril, em especial ao andar ou subir escadas. Se muito forte pode perturbar o sono se o paciente se deitar para o lado afetado. O curso dos sintomas é prolongado ou exacerbado em função da atividade praticada. O paciente refere dor à palpação sobre o local acometido.
Sinais e sintomas: O atleta/desportista pode sentir dor durante a marcha quando o quadril se encontra em flexão. Subir escadas, caminhar e subir em terrenos íngrimes e aclives também podem produzir dor. Com o quadril em flexão o atleta/desportista pode referir dor à palpação.


Bursite Iliopectínea
É uma bursite que na maioria das vezes é confundida com o estiramento do músculo psoas. Para diferenciar essas lesões é preciso que sejam feitos exames complementares para poder verificar os dados clínicos. Essa bursite é causada geralmente por encurtamento do músculo psoas ou também pode ser uma lesão decorrente de uma osteoartrite de quadril.
 

Sinais, Sintomas e Tratamento

Normalmente, que possui alguma bursite de quadril refere dor na região lateral do quadril, na região do trocanter. Essa dor pode se irradiar para a parte lateral ou póstero da coxa. Ao realizar movimentos como subir escadas ou até mesmo no andar, a dor pode se acentuar e muitas vezes se tornar incapacitante. Dor á palpação também é muito comum.
O melhor tratamento é com a Fisioterapia. Exercícios de fortalecimento, diversos alongamentos irão aliviar as dores sentidas pela bursite. Outras coisas para aliviar a dor envolvem: repouso, gelo, eletroterapia e administração de medicamentos anti-inflamatórios. Existem também algumas receitas caseiras para melhora da dor, como a Sucupira, que é um medicamento natural preparado como chá e a Parafina também pode ser usada visando uma melhora da dor.

7 comentários:

Souza disse...

Meu caro, espero que possa se recuperar rapidamente para retomar suas cicloviagens!

Parabéns pelo blog!

FIQUE COM DEUS...

daguvasco disse...

Putz Antigão ai é foda hein?
Mas Deus escreve certo por linhas tortas, quem sabe não é um tempo para vc parar, descansar, recarregar e ai sim pedalar sem dor nenhuma?
Veja pelo lado positivo, vai acumular muito mais conhecimento do ciclismo, pelo menos o teorico kkkk
Força ai brother.
Aquele

Victor H. Guidini disse...

Melhoras para você, e que em breve volte aos pedais!
Um Abraço!

Musto disse...

Olá Antigão, sempre acompanho suas viagens. Também faço viagens de bike, e no último domingo eu e alguns colegas saimos de SP fomos de trem até Itapevi, e de lá fomos no pedal para São Roque > Araçariguama > Pirapora do Bom Jesus e voltamos pela estrada dos romeiros > Castello Branco > SP, tudo deu mais ou menos 140km. E essa semana toda percebi que ao tocar as laterais do quadril estavam doloridas, fiquei imaginando o que poderia ser, e hoje acesso seu blog e vejo o que pode ser. Percebi também que nas duas semanas anteriores não treinei direito, por isso acho que sobrecarreguei-o com a viagem. Acredito que no seu caso, como esta se recuperando de uma operação, o corpo tem que ser treinado aos poucos para se adaptar aos esforços e assim se recuperar mais rápido, com fisioterapia, treinos leves (giros), alimentação, descanso e fê ( que também nos deixa muito saudaveis )! Abraço e força!

Fábio Almeida disse...

Grande Waldson, tenho certeza que este será apenas mais um capítulo que você irá vencer.
Grande abraço!

Fábio

Roselaine silvestre disse...

Eu gostaria de pedalar ..Tenho borsite no Quadril vou me fortalecer pedalando ou não já q não posso caminhar??

Waldson Gutierres disse...

Roselaine, acho melhor você falar com seu médico ou fisioterapeuta. Creio que primeiro é sarar para então pedalar. Eu demorei para voltar aos pedais. Foram várias sessões de fisioterapia e remédios. Melhoras, amiga!