sexta-feira, 21 de maio de 2010

São Paulo => Paraty,RJ - Março 2010

Neste relato consta uma pequena viagem que denominei de "Viagem Sexagenária", haja vista que daqui a pouco estarei completando os 60 anos de idade. Comecei no cicloturismo aos 58 anos de idade e a cada dia que passa mais o admiro.
Como estarei entrando na "velhice institucional", fundamentado no "Estatudo do Idoso" resolvi assim denominar esse passeio, objetivando mostrar que mesmo aos "idosos" é reservado o prazer e a aventura de uma pedalada deliciosa, beirando o mar do Litoral Norte de São Paulo, chegando ao Rio de janeiro.
A priori estabeleci como meta sair de São Paulo, Capital e chegar a Ilha Grande no Rio de Janeiro, pela Rodovia Rio Santos, considerada uma das mais belas rodovias paulistas pela sua proximidade com a Natureza, bem preservada. Para quem pedala no sentido Rio, do lado esquerdo o verde das montanhas com a Mata Atlântica frondosa e soberba e do lado direito a beleza do mar, emoldurado por belíssimas praias, com suas areias brancas e águas azuis, seguem prazerosamente o viajante.

No dia 28/02/2010, domingo, acordei ás 4h30m. Deixara boa parte das coisas preparadas no dia anterior, restando-me apenas os preparativos finais. Mesmo assim só consegui sair por volta das 5h30m, após fazer um repasse de todas as coisas. Uns 18 kg de bagagem estavam assentados e presos ao bagageiro da bike.
Iluminação dianteira e traseira ligadas, manhã fresca e úmida, saí em direção a Estação de Trem da CPTM (Cia. de Trens Metropolitanos) que fica no Bairro do Tatuapé, em São Paulo.
Havia planejado ir de trem até a Cidade de Mogi das Cruzes, de onde começaria o pedal em direção a Rodovia Mogi-Bertioga, a qual me levaria através da Serra do Mar, até o entroncamento com a Rodovia Rio-Santos.

(Clique na foto para ampliar)


Indo em direção a Estação da CPTM...




Aguardando o Trem...

Saí muito cedo na manhã seguinte: 6h30m. Nem deu para pegar o café da manhã que seria servido á partir das 8h. Tomei o café da manhã numa padaria, no centro de Ubatuba, uns 12 Km. Foi legal, pois muitos me cercaram querendo saber de onde vinha ou para onde ia com aquela bike carregada. Todos perguntavam a minha idade e quando eu dizia estar beirando os 60... todos diziam que queriam chegar aos 60 anos com tanta saúde. Outros diziam que era muita coragem sair de tão longe e pedalar durante tantos dias. Mas tudo bem, depois de uns "Vá com Deus" e "Boa Viagem" partimos novamente pela estrada.

Poxa, já era sexta-feira e eu ainda nem chegara em Trindade. O tempo chuvoso atrasou bastante a viagem.
Agora queria pedalar direto até a Cachoeira da Escada, na divisa entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Bike embarcada no interior do ônibus.







Tchau gente!!! Até a próxima aventura!!!

3 comentários:

Carlos Bernardo disse...

Amigo antigão!
Gostei das fotose do relato desta sua viagem, é bom viajar assim, nos renova o espirito. Deixo uma menssagem a quem anda de bike:referente á enorme subida , tambem depois havia outra indicando descida, A seguir a uma subida há sempre uma descida, nunca desanimem.
Um abraço!

Waldson Gutierres (Antigão) disse...

Obrigado, Carlos.

Realmente o cicloturismo nos traz uma leveza de alma incrível! É um momento de introspecção, de ver e sentir na Natureza as mãos poderosas de um Criador inigualável!

Outro abraço!

Douglas disse...

Só agora descobri suas aventuras (sou novo no Pedal), mas estou curtindo e aprendendo muito. Parabéns, não só pelas pedaladas, mas principalmente pela forma como nos passa. E se houver uma próxima para Paraty, considere trocar o camping do Pontal pelo Dose Dupla, um veleiro onde moro lá em PY. Seria um grande prazer. Um abraço e boas pedaladas.