quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Pedal de aniversário de São Paulo - Janeiro de 2015

Olás, minhas amigas e meus amigos, amantes ou não das bikes!


Poxa, fazia tempo que eu não pedalava no Aniversário de minha cidade! São Paulo é uma cidade cheia de problemas, reconheço, mas tem o seu lado bom, basta que saibamos explorá-lo, não é mesmo?



Pois bem, no domingo de 25 de janeiro de 2015, acordei às 5:15 hrs. ávido para pedalar um pouco. Mais do que ávido, seco para sentir o prazer de ver os pneus da minha Nanika comendo o asfalto de boa, juntamente com mais uns milhares de ciclistas que estariam defronte do MASP naquela manhã.

Era precisamente 6 horas quando saí de casa. Passei na casa de um amigo que ficara de ir, mas estava dormindo. Seu filho disse que ele iria "mais tarde", então tratei de pedalar sozinho em direção ao Metrô V. Prudente.

Nanika na plataforma da estação V. Prudente.




Confesso que cheguei rápido à Av. Luis Ignácio de Anhaia Melo, mas essa avenida é um deus nos acuda em matéria de buracos e costelinhas! Está em obras há vários anos, toda remendada. Arrependi-me de ter feito esse caminho, sinceramente. Há um pequeno trecho de ciclovia, aliás foi o que me fez escolher esse trajeto, mas confesso, só valeu a pena pela segurança ao subir  descer o viaduto que corta a Av. Salin Sarah Maluf, sempre cheia de carretas e caminhões pesados que seguem em direção a Via Anchieta. Mas, como morador antigo da Zona Leste, conheço como contorná-la sem precisar usar do viaduto.

Parte da ciclovia da Av. Anhaia Mello, na V. Prudente.



Bom, mas cheguei ao Metrô são e salvo. Embarquei e logo percebi que a cada estação entravam mais duas ou três bikes, com seus bikers de camiseta do evento. Na estação Trianon-Masp desceu uma leva de ciclistas, homens e mulheres, todos bem humorados.
Por volta das 7 hrs eu já estava lá, todo feliz aguardando a hora da largada, que seria as 8.

Antigão e sua Nanika. Ambos felizes aguardando a largada.






Estava distraído olhando e admirando a quantidade enorme de ciclistas, homens, mulheres e crianças, quando chega o amigo e cicloturista Tony Carlos. Que legal, alguém conhecido para fazer companhia e bater papo!
Batíamos papo já quase na hora da largada e eis que me.aparece o Bento, outro grande amigo biker e corredor. Aí o que estava bom ficou ainda melhor!
Oba! Foi dada a largada, lá vamos nós!












Av. Paulista, Dr. Arnaldo, Sumaré, assim dá gosto pedalar! Tudo bem organizado, com batedores, organizadores e a proteção da Polícia Militar.
O pedal foi até o Clube Regatas do Tietê, onde houve uma parada técnica para se tomar uma água, lanche e ir ao sanitário.







Na relargada seguimos com o pelotão até o Parque da Luz, onde entramos, pois o ciclopasseio já se aproximava do final no Vale do Anhangabaú.



Da esquerda para a direita: O Bento, eu e o Tony Carlos.







Estação da Luz.




Curtimos o Parque da Luz e rumamos para a Praça da Sé, via ciclofaixas de lazer, pegamos a Av. Rangel Pestana, Celso Garcia em direção a Zona Leste, pois na volta viemos pedalando para nossas casas.


Um pedacinho do Templo de Salomão, construído pela Igreja 
Universal do Reino de Deus, no Bairro do Brás.



Chegamos ao Metrô Tatuapé.



Pouquíssimo trânsito, não estava muito quente, logo chegamos à Ciclovia do Verde, que começa no Metrô Tatuapé e segue até Corinthians-Itaquera. Vale lembrar que essa ciclovia é antiga, construída em administração anterior.
Logo o Tony se despediu e o Bento e eu, como moramos quase vizinhos, seguimos nosso caminho pela Av. Cons. Carrão.

Era meio dia quando cheguei em casa. Graças a Deus havia água para tomar o tão almejado banho pós pedal!
O almoço em família e o cochilo da tarde completaram o belo e prazeroso domingo.

Parabéns São Paulo pelos seus 461 anos!


45 km de aventura e emoção.

Agradeço ao Tony e ao Bento pela salutar e agradável companhia. Outros pedais virão e estaremos juntos, se Deus quiser!



4 comentários:

Fábio Almeida disse...

Que beleza, Waldson. Vontade de ainda morar ai pra lhe acompanhar nesta.

Waldson Gutierres disse...

Venha! Será sempre um prazer pedalar em sua companhia. Grande cicloabraço!

Gilmar Doistempos disse...

Legal, Waldson, mas uma pedalada
prazerosa. Que bom que o dia estava propicio ao esporte.

O roteiro tambem me pareceu aprazivel,
com muito verde do Pacaembu ao Sumaré.

Esse parque na Luz é uma rara beleza
que passa despercebida na correria dos
dias uteis.

Parabéns a voces.

[]s :)

Tony Carlos disse...

Sabia que tinha ficado ótimas as fotos do Parque da Luz! Foi muito bom aquele pedal!

Em tempo, utilizei aquele método que você me mostrou para montar os brake light no bagageiro... Ficou ótimo, por enquanto só montei um!

Abraços, Tony Carlos