domingo, 18 de janeiro de 2015

Vencendo a lombar e a glicemia alta!


Olás meus amigos leitores e leitoras! Boa noite!

Hoje, domingo, 18/01/2015, parece que tudo deu certo, graças a Deus!
Há tempos venho querendo pedalar, mas alguns problemas me impediam. No domingo passado foram as dores lombares. Preparei tudo e na hora H não pude ir devido as dores. Nesta semana que antecedeu esse pequeno mas prazeroso pedal cuidei-me muito bem para que a lombar não interferisse na minha pedalada e deu certo. Para os que não sabem, passei por quatro cirurgias na coluna lombar entre os anos de 2011 e 2012 e, infelizmente, fiquei com sequelas.

Outra coisa que me impedia um pouco de sair para pedalar era o fato de ter que cuidar da minha mãe, dar remédios, ajudar minha esposa a cuidar dela, etc. Mas isso já foi resolvido. Graças ao Papai do Céu conseguimos uma vaga, embora remunerada, numa casa de repouso e recuperação, onde ela será assistida por médicos, fisioterapeuta e enfermeiras. Dependíamos do Posto de Saúde do Jardim Iva, o qual nos deixou na mão, no que tange á fisioterapia e assistência médica. Serviço precaríssimo!!!

Finalmente a minha grande motivação foi a glicemia alta (240 em jejum de 2 horas!!!). É sabido que diabéticos precisam fazer pelos 30 minutos de exercícios diários e a bicicleta ergométrica não estava me atraindo mais como antes. Pedalar diante da televisão não é a mesma coisa que pedalar sentindo o vento no rosto, admirando as paisagens, ouvindo o canto dos pássaros! Pensando bem, até ouvir o ruído dos carros e caminhões ao nosso lado é melhor do que pedalar estático, diante de uma TV.

Mas, tudo mudou! Hoje acordei ainda não era 6 horas da matina e tratei de me vestir para pedalar. Passei uma pomada na lombar, tomei o meu café matinal, remédios e as 7 horas já estava no Parque do Carmo pedalando prazerosamente. Que delícia pedalar a essa hora! Pouca gente, o cheiro do mato, esquilos prá lá e prá cá, pássaros cantando e o incomparável ventinho no rosto... não tem dinheiro que pague! A vida é tão simples que acaba complicando a maioria das pessoas!

Na semana preparei a Nanika para esse e outros pedais/treino: Tirei o guidão Borboleta (butterfly ou Treking) mais apropriado para cicloturismo e instalei um guidão de MTB, marca GTS. Como ele era muito comprido, serrei as pontas para ficar do tamanho do guidão original da Soul D-60. O guidão borboleta dificulta um pouco para dobrar a bike, pois é preciso soltar a mesa com chave allen. No caso do guidão de MTB isso não é necessário. Como meus pedais serão pela manhã e terão pouca duração o guidão de MTB é mais apropriado para o momento. Quando eu for cicloviajar com a Nanika, recoloco o guidão Borboleta. Também, como já disse no Facebook, troquei o selim. Substituí o Brooks por um Velo Plush, vazado e em gel. Devido ter ficado muitos meses sem pedalar, o Brooks estava me machucando, coisa que o Velo não fez.

Antes com guidão borboleta.




Depois, com guidão de MTB.




O Velo Plush, vazado e em gel.



No caso do guidão, ficou legal, mas faltou espaço para um espelho retrovisor. Vou comprar um de Bar-hand e acaba o problema.

O pedal de hoje foi show! Apenas 20 Km, mas com bastante subida. Quem conhece a ciclovia do Parque do Carmo sabe do que eu estou falando. Por volta das 9 hrs eu já estava de volta, pois ainda precisava ir à feira comprar frutas, legumes e verduras para a semana.


O velho e saudoso caminho.









O Sombra, que me acompanha sempre nas cicloviagens, desde 2008, não perdeu essa não!





A Nanika tá uma delícia para pedalar! Não importa o guidão.





Tinha até flor caída no gramado.



E pedra caramujo também!




A grande e feliz novidade foi ver que a Av. Afonso de Sampaio e Souza, que começa na Av. Aricanduva e termina no Parque do Carmo, tem ciclovia! Isso mesmo, ciclovia no canteiro central, tanto para ir como para vir. Que show de roda!!! Sempre que eu subia ali pensava que um dia poderia ter uma ciclovia. Lembro que uma vez um taxi bateu o espelho no meu bar-hand e quase me mandou pro chão. A ciclovia é protegida por tartarugas. Isso evita que motoristas invadam a ciclovia e traz maior segurança para os ciclistas. Obrigado Senhor Prefeito!

Foi um domingo delicioso! Praticar esportes, no meu caso pedalar, sempre vale a pena.

Agora espero todos os dias dar uma treinada, afinal, em março quero fazer um ciclotur solo, se Deus quiser!



5 comentários:

Gilmar Doistempos disse...

Legal Waldson, que bom que você tem essa ótima opção pra pedalar perto de casa :)

É sempre bom ver seu testemunho dos outros fatores, além cicloturismo, que enriquecem seus relatos e vão passando aos mais jovens, que estão atentos, a realidade das dificuldades dos mais experientes com relação aos cuidados com a saúde.

Que venham novos relatos!

[]s

Waldson Gutierres disse...

Valeu Gilmar!

Realmente é bom que os mais jovens saibam que, embora o cicloturismo nos traga muito prazer, nem tudo são flores. às vezes somos impedidos de pedalar não porque temos algum problema, mas porque algum dos nossos entes queridos têm um problema. Como já dizia a máxima: Primeiro as primeiras coisas!
Mas, nos também, como seres humanos que somos, podemos ter problemas de saúde que nos impeçam de fazermos o mais gostamos. Nesses casos temos que ser pacientes e aguardarmos o momento oportuno para retornarmos às nossas atividades.
O ano passado, 2014, passei 9 dias internado com pancreatite aguda o que acarretou uma diabetes. Ainda estou lutando para acertar a glicemia, fazendo pesquisas e etc. Porém tenho certeza da necessidade de praticar esporte ou fazer exercícios físicos diários para que o diabetes fique estável e não interfira tanto na qualidade de vida.

Creio que em março já poderei fazer um ciclotur de verdade. Escolhi março porque além de dar mais tempo para eu treinar, a temperatura estará mais amena, sem contar que as estações turísticas estarão mais desertas e com preços mais acessíveis para acampar ou ficar em pousadas.

Grande abraço amigo e volte sempre!

3dmar disse...

Antigão,

Um prazer ler um post destes, retomando as atividades sobre duas rodas. Felicidades com a próxima Cicloviagem e é claro nos treinos.

Abraço!

Carlos Alberto DUARTE disse...

Boa tarde Antigão.
A Nanika ficou uma beleza com este guidão. Que bom que os problemas vão sendo contornados e abre espaço para atividades que amamos.
Parabéns pelo seu exemplo de luta e paciência perante os problemas.
Fico feliz que tenha encontrado um local legal para sua mãe.
Abraços Antigão.

Judson disse...

Fala Waldson!
Acompanho sempre seu blog e estou feliz por ver você no pedal. Deus é fiel!
Grande antigão, tenho também uma dobravel, um Urbe, e tenho feito algumas modificações nela e hoje tenho quase uma MTB dobravel! Rs ... Uma das modificações que fiz foi colocar uma mesa, mas não ficou como a que colocou na sua... Como fez para adaptar uma mesa dessas na sua? Ficou muito bom!
Fique com Deus, grande Abraço e bom pedal!!!