quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Mentika vendida ou não? A grande verdade!

Olás, amigos e amigas!

Para quem não sabe, Mentika é o nome de batismo da minha bike híbrida de cicloturismo.
Montada em novembro de 2009 (Veja aqui) ela veio sofrendo transformações daquela data até os dias de hoje. Interessante que, apesar de vários upgrades, os pneus, aros e câmaras, são os mesmos até a presente data.


Com guidão Road e quadro de Caloi Aspen na primeira montagem.



De lá para cá, como já foi dito, foram feitas muitas modificações, inclusive o quadro que foi substituído por um de CroMo, da Trek.

Mentika na sua configuração recente, no Sertão da Bocaina.


No primeiro semestre deste ano, devido a problemas financeiros, resolvi vender minha Mentika. Lógico que isso me deixou profundamente triste, mas eu chegara a triste conclusão que não havia outra forma de obter o dinheiro necessário para acertar alguns compromissos financeiros.
Assim, anunciei para os amigos que iria vendê-la, pois poderia que algum deles se interessasse pela bike.

Em Ilhabela. A caminho de Cananéia, SP.



Logo um amigo do Rio Grande do Sul fez contato dizendo que estava interessado na Bicicleta. Fiquei contente em vende-la para ele, pois sei perfeitamente do seu zelo e amor pelas bikes que possui. De maneiras que a Mentika estaria em ótimas mãos.

Logo ele depositou em minha conta corrente bancária uma parte do dinheiro e ficamos de conversar sobre o restante e em como enviar a bike para a sua cidade, no RS. Disse me ele que tinha um amigo em São Paulo e que talvez ele levasse a bike quando retornasse ao Rio Grande.

Passaram-se alguns dias e eu o pressionei para depositar o restante do dinheiro, pois estava precisando saldar alguns compromissos financeiros. Ele pediu que eu aguardasse só mais um pouquinho, que iria fazê-lo.
Foi então que veio a grata surpresa: (rufem os tambores!!!)

Não, eu não estava entendendo?! Mas que brincadeira de bom gosto! Ah, sim, foi o conteúdo daquele e-mail que me deixou pasmo! Naquele alvissareiro e-mail aliado ao IN BOX do Facebook o amigo "comprador", mais um grupo de amigos que se aliara a ele, declararam que não havia a compra da bike. Na realidade eles se uniram e fizeram uma "vaquinha" para arrecadar o valor que eu pedira na bike, pois sabiam da minha necessidade financeira e dor no coração que eu sentiria por vender a bike. Assim, agora eu tinha o dinheiro e a Mentika continuava minha!!!

Poxa, sempre acreditei nos amigos! Eu já disse e volto a fazê-lo: No cicloturismo não encontrei amigos simplesmente. Encontrei mais do que isso! Encontrei irmãos que estão sempre dispostos a ajudar e encorajar uns aos outros.

Lembrei-me da passagem Bíblica, em Mateus 25:35 a 40.

 Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes
 Necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram'.
 "Então os justos lhe responderão: 'Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber?
 Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos?
 Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?'
 "O Rei responderá: 'Digo a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram'.

Mesmo hoje, já passados alguns meses, não posso esquecer desse grande gesto de amor ao próximo.

Graças a Deus e a esses amigos/irmãos, a Mentika está lá no quartinho das bikes toda faceira e feliz por ter ficado em casa. Afinal nós somos partes um do outro. Já estivemos juntos em várias aventuras, em momentos difíceis, mas sobretudo em momentos de grande prazer e felicidade. 
O mesmo vento que soprou em meu rosto, soprou no seu guidão, o mesmo sol que me aqueceu também a aqueceu. Até o mar furioso nós enfrentamos juntos na Ilha das Peças, SP!

Saindo da Ilha do Cardoso.


Na Ilha das Peças, PR.


Ontem foram aqueles amigos que me ajudaram, amanhã serão outros que me ajudarão e assim nós formamos um grupo que ama uns aos outros e que se ajudam mutuamente.
Eu só tenho que agradecer, embora me faltem palavras adequadas para fazê-lo do jeito que eu queria.

Amigos/irmãos desse Brasil imenso - e até fora dele! - MUITO OBRIGADO!!!

Um grande cicloabraço do...





4 comentários:

Cesar Rocha disse...

Hehe, isso eu descobri nas minhas pedalanças: os amigos feitos por causa do ciclismo são os mais sinceros, fiéis e confiáveis.

Vida longa com saúde a todos nossos amigos advindos de cicloviagens, sejam ciclistas praticantes ou não.

Deus abençoe especialmente esses amigos gaúchos e a ti, meu grande amigo.

Unknown disse...

he he he As boas graças sempre aparecem para quem merece. Parabéns Waldson!

joaozinho menininho disse...

Sr. Waldson o senhor é muito querido entre os amigos, fiquei feliz com a história!

Pena que não tenho facebook, pois minha esposa é muito ciumenta... lllooolll

cicloabraços
joaozinho

Waldson Gutierres disse...

Cesar, Desconhecido e Joãozinho, obrigado pelos elogios. Realmente nessas nossas andanças de bike encontramos pessoas simples mas com o coração de ouro maciço. Nossos amigos de pedal então são verdadeiros irmãos. Como eu gostaria de poder recepcioná-los aqui em casa como me recepcionam em suas casas!
Obrigado, amigos!
Grande cicloabraço a todos!