sexta-feira, 12 de abril de 2013

Ciclotur pioneiro pelo Sertão da Bocaina - Final

Bananal, SP, sábado, 30/03/2013.

(Clique nas fotos para ampliar)




O dia amanheceu meio cinzento. Diga-se de passagem o clima na montanha é totalmente diferente das baixas altitudes. A noite choveu um pouco e a grama do camping estava toda molhada.
Não tive uma boa noite de sono. Estava cansado, com dores nas pernas e fui acometido de algumas cãibras nas panturrilhas durante a noite. Soube depois que esses males não eram devido á viagem propriamente dita, mas sim efeitos colaterais do remédio que eu vinha tomando juntamente com o remédio para o controle da pressão alta: Hidroclorotiazida, um diurético que me trouxe muitos problemas até que eu descobrisse que ele era o vilão e o abandonasse por completo.

Levantei cedo e mesmo antes de prepararmos o café, fui lavar algumas peças de roupa, pois o tempo mudara e a manhã estava clareando, com sinais da presença do sol.



Café da manhã preparado e tomado saímos para uma caminhada. Havíamos combinado em visitar uma Usina abandonada, que fica nos arredores. Fomos a pé a fim de nos exercitarmos e mesmo porque não sabíamos como estaria a trilha até a Usina.


Poucos Km e chegamos a Usina.










No caminho encontramos a falsa Coral já morta.




Na estrada, que mais parece uma trilha, a placa indicativa da SP-247, Estrada do Sertão.




Voltamos ao Camping e o meu objetivo era deitar na rede e ficar o dia inteiro descansando, ouvindo os pássaros, perus, galinhas e o som mavioso do riacho de águas cristalinas que corta o Camping.












Para não ficar totalmente a toa, ainda fomos lavar as bikes que estavam cheias de lama do dia anterior.


Lavadora de alta pressão totalmente natural.








A manhã passou rápido. Aliás, não sei porque quando a gente está numa boa o tempo passa tão rápido!

Almoçamos e fomos dar uma cochilada. Passava um pouco das 14 horas quando o Fábio manifestou o desejo de pedalar até uma pousada abandonada, onde haveria um acesso a uma cachoeira.
Recusei o gentil convite, pois minhas pernas ainda estavam bem doloridas e eu queria me poupar para a volta do dia seguinte.
O Fábio então resolveu ir sozinho.

Passei a tarde entre fazer alguns filmes de beija-flores que se alimentavam num bebedouro, fazer algumas fotos e caminhar pelo Camping. Haviam outros hóspedes, de São Paulo, Angra dos Reis e aproveitei para bater papo com eles.

Por volta de umas 16 a 16:30 horas o tempo começou a mudar rapidamente. Uma névoa começou a cobrir o local e pareceu-me que iria chover ou mesmo garoar a qualquer momento. Corri então a preparar o nosso jantar já preocupado, pois o Fábio não voltara ainda.

Já estava escurecendo quando ele apareceu cansado e esbaforido. Pedalara a milhão para chegar antes do escurecer totalmente. Foi interessante ouvi-lo contar sobre a visita á Pousada abandonada:

"Muita lama no caminho que após uns poucos Km se transformou praticamente numa trilha inacessível a veículos motores. No caminho muitos búfalos e quando chegou á Pousada um ar sinistro e pesado cobria o local. Algo fantasmagórico pairava no ar. Cavalos selvagens relinchavam por toda a parte e o caminho que antes dava acesso á cachoeira fora tomado pela mata há muito tempo. Uma espessa neblina começou a cobrir o local rapidamente então ele disse a si mesmo: "Melhor é cair fora enquanto é tempo!". Pedalou rapidamente de volta, visando chegar ao Camping o mais rápido possível".

Vejam as fotos tiradas por ele nesse ciclopasseio sinistro:

Mochileiros acampados ao longo da estrada, próximo ao Camping Chez Bruna.











A Natureza tomando conta do que foram belos chalés um dia.









Será que Freddy Krueger não está por trás de alguma dessas árvores
 em meio a essa espessa neblina?





Confesso que eu nem teria chegado até lá! Voltaria do meio do caminho rapidamente!

Á noite, na região serrana, o tempo esfria bastante. Assim,  após o banho quente e um jantar o melhor é se agasalhar bem, sentar para bater papo e dormir cedo.

Bananal, SP, 31/03/2013.

Acordei cedo e bem disposto. Descansei bem no dia anterior e tive uma boa noite de sono, graças a Deus.

Logo após o café da manhã começamos a desmontar as barracas. Montamos tudo e fomos para a sede a fim de fechar a nossa conta. Passava um pouco das 8:30 horas. A Bruna, proprietária do Camping, havia saído e não havia ninguém para fechar a nossa conta. Esperamos mais de uma hora até que ela chegasse e pudéssemos então cair na estrada, para fazer o caminho de volta até o centro de Bananal. 

9 Km de  estrada, com predominância de subidas, para chegar ao cume 
da montanha novamente. Subimos pedalando.


Na volta o lamaçal já havia secado. Na ida fomos pelo meio do mato.




Do lado direito, logo á frente existe aqui um Trutário, onde é possível pescar a truta e levar para casa. Segundo informações de campistas, R$ 18,00 o Kg.







Um posto de informações e turismo abandonado.



Ô plaquinha abençoada! Agora vamos nos vingar!



Preparei a máquina fotográfica no suporte do capacete para fazer a filmagem dessa descida. Aproximadamente 20 Km nos separam do centro da cidade. Pulei na bike e...

Prá que pedalaaaar!!!! Fui!!!

Voamos serra abaixo! O asfalto acabou, diminuímos um pouco, mas mesmo assim o ritmo era de velocidade constante.

Levamos 20 minutos para descer a serra que nos tomou 7 horas na subida! Só paramos por um momento quando encontramos um vaqueiro que conduzia seu rebanho serra acima. Ele perguntou se havíamos subido a serra de bike. Quando respondemos afirmativamente ele arregalou os olhos surpreso e disse que éramos muito fortes.

Assim, chegamos em Bananal para o almoço.


Almoçamos e fomos para a praça, onde o Karol já nos esperava com o carro que nos levaria de volta para São Paulo.



Assim terminou o ciclotur pioneiro para o Sertão da Bocaina.

Pedalados......:  170,370 Km
Média total....:    11,1 Km/h
Vel. máxima.:    65,6 Km/h

Agradeço a Deus pela oportunidade de mais essa prazerosa cicloviagem e poder dividi-la com vocês.

Agradeço ao amigo Fábio Almeida pelo convite e super agradável companhia. Um companheiraço!

Agradeço também á Tia Shirley, ao tio Luiz e ao Karol que nos acolheu e nos ajudou a transformar esse desejo numa verdadeira cicloviagem e aventura.

Logo teremos um vídeo para que possamos ver como foi realmente a descida da serra.

Finalmente agradeço a todos vocês que nos acompanham e prestigiam.

Referências:

Pousada MM - Arapeí, SP - Alto da Igreja.
Fone: (12) 3115-1228 - Sr. Milton

Camping e Restaurante Chez Bruna.
CHEZ BRUNA - Camping e Restaurante
Rodovia SP 247 Km 28, Estrada da Bocaina
(24) 9259-2797 / 9951-2714
http://www.chezbruna.com.br/


Um forte cicloabraço do...



4 comentários:

Alberto Escher disse...

Parabéns Waldson, belíssima cicloviagem. Que venham várias outras.

Abraço!

evandro silva disse...

Parabéns, estas viagens são muito inspiradoras.

Waldson Gutierres disse...

Obrigado Alberto e Evandro!

Nunca é tarde para que as pessoas saiam do sedentarismo, abandonem vícios e pratiquem alguma atividade física, não é mesmo?! A vida é tão curta, para quê abrevia-la ainda mais quando podemos torna-la longa e prazerosa?
É isso que eu faço hoje e fico imensamente feliz quando alguém, homem ou mulher, passa a fazer o mesmo.

Grande cicloabraço!

Gilmar Doistempos disse...

Parabéns a voces dois, foi uma linda
aventura.

Deslumbrante essa região da serra
da Bocaina.

Nessa descida de 20 minutos x 7h
de subida, deu pra ver que voces
são realmente tenazes.

Será realmente que no camping
fantasma havia cavalos selvagens ?
Legal o Fabio ter conseguido ir
até esse trecho.

Gostei muito dessa foto de voces
junto a velha locomotiva.

Sensacional esses 3 relatos, parabens
Waldson pela redação e por dividir-los
conosco.

[]s Gilmar.