sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Antigão, graças a Deus, renascendo das cinzas!


Olá, meu amigos e minhas amigas!

Boa noite!

Quando escrevi o artigo relatando que adiara a cicloviagem para o sul, meu coração estava deveras angustiado. Parecia-me que nunca mais eu subiria numa bike e que estava tudo acabado. No filme da minha vida esse não era o final feliz que eu esperava. Talvez, naquele momento eu não estivesse preparado para ouvir da Endocrinologista aquelas duras palavras. Dizer que o meu pâncreas não funcionava mais e que eu estaria sujeito às aplicações de insulina para o resto da vida soou para mim como uma sentença de morte. Mas, agora, passados alguns dias, depois de meditar bastante na situação, tenho notado que a coisa não é tão feia como me pareceu naquele fatídico dia.

Hoje, quando eu voltava do laboratório, onde fora buscar o resultado de um exame de urina, uma voz sussurrou suavemente no meu interior: "Neste mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". Palavras do Mestre! (João, 16:33).
Mas então é isso, é só ter bom ânimo!!! Mas... o que significa ter bom ânimo?
Ter bom ânimo é ter fé. Fé no Criador e em si mesmo. O que o Apóstolo Paulo nos diz sobre a fé?
"Ora, a fé é a certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem" (Hebreus 11:1).
Então estou convicto que faltou-me a fé naquele fatídico dia. Tivesse tido a fé proposta por Paulo e eu teria tirado de letra aquelas palavras aparentemente tão duras. Embora eu seja fraco e falho, Deus é maior e tem restabelecido a minha fé, de maneiras que hoje já posso dizer que estou renascendo das cinzas como o faz a Fênix da mitologia grega.

Desde que voltei a pedalar, em 2006, já passei por 4 cirurgias de coluna lombar (artrodese) e, a despeito do ceticismo de alguns, voltei a pedalar. Demorou, não nego, mas voltei. Passei por uma angioplastia em 2013 e logo estava pedalando de novo. Assim o Papai do Céu, com a Sua graça incomensurável, tem me mantido firme, sempre me fazendo renascer das cinzas . Ele também tem preparado pessoas amigas que sempre me enviam palavras de fé e otimismo, as quais têm me ajudado muito na minha recuperação. Obrigado a todos vocês, amigos e amigas!

Ontem passei por três hipoglicemias. A princípio isso parece muito mal, mas para mim isso foi uma vitória, pois significa que a medicação tem surtido o efeito desejado. Passei muitos meses com hiperglicemia. Várias vezes estive no Pronto Socorro com a glicemia altíssima; tanto que o meu glicosímetro nem conseguia marcar (HI)! Lá tomava insulina, soro e voltava de madrugada para casa. Hoje, 11/12/15, tomei insulina NPH apenas de manhã e estou até o presente momento, 19 horas, numa boa.

Graças a Deus já comecei a vislumbrar novas e prazerosas cicloviagens. Enfim, há uma luz no fim do túnel! Que venha 2016!!!



Ainda não posso dizer que pedalarei de Floripa até o Chuí, como planejara há meses atrás, mas, certamente cicloviagens de dois ou três dias poderão ser executadas mais breve do que eu imaginava,

Bom, vou ficando por aqui, lembrando que, curiosamente na minha terceira cirurgia lombar, faltava apenas uma semana para o Natal, quando eu saí do hospital.

Um grande e fraternal cicloabraço do...




6 comentários:

Du - BLoG DO ABUTRE disse...

Que boa notícia! Aguardo anciosamente a continuação de suas aventuras e também dos seus artigos!!
Força antigão!! Um abraço e melhoras!

Luis Claudio Campos disse...

Maravilha...
Boas noticias....parabéns...sempre em frente...abraçao...

Davidson disse...

Olá Antigão,

Eu achei esse site que pode ter serventia.


http://www.alibaba.com/product-detail/portable-insulin-mini-fridge-for-traveling_60373563266.html?spm=a2700.7724857.29.46.V9pVIe

Como consome pouco (24w), acho possível que haja uma solução conveniente com painéis solares, outras baterias e até mesmo um cubo dínamo.

Grande Abraço,
Cicloviajo contigo

Waldson Gutierres disse...

Dú - Blog do Abutre e Luiz Cláudio, obrigado meus amigos pelas palavras de apoio e incentivo!

Se Deus quiser em janeiro - que está bem próximo - já estaremos aptos a fazer uma pequena e rápida cicloviagem, abrindo assim as perspectivas para 2016.

Fraternal cicloabraço do Antigão!

Waldson Gutierres disse...

Olá Davidson!

Muito obrigado meu amigo em preocupar-se conosco. No meu caso e como vivemos num país de clima predominantemente temperado, nem há a necessidade de um cooler elétrico. Já encontrei pequeenas bolsas térmicas bem eficientes para transportar os insumos para o diabetes. Depois do dia 27 provavelmente já compro uma. As insulinas devem ficar em temperaturas entre 15º a 30º graus celsius. Assim, nos meses de março a novembro, no Sudeste, dá para pedalar com apenas um isopor numa boa. A bolsa térmica é legal porque tem o tira-colo, etc.
E vamos vivendo numa boa. O pior já passou, agora é assimilar o dia a dia e cair na estrada.

Grande cicloabraço do Antigão e obrigado por prestigiar o nosso Blog.

André Antonelli disse...

Olá, Waldson!

Não sou cicloturista (ainda) como você, mas gosto de dar as minhas pedaladas. E também sou diabético (tipo 1), ou seja, sou insulino-dependente. Esse quadro, no entanto, não me impediu de continuar andando de bicicleta ou praticar qualquer outra atividade física. Dias desses pedalei 50km junto com um grupo e posso dizer que não tive nenhum problema. É claro que os cuidados são maiores. Sempre levo coisas pra comer e faço testes de ponta de dedo pra ver como anda a glicemia.

Há um tempo atrás li um relato de um australiano, diabético tipo 1, que fez um audax de 200km. Tem uma equipe de ciclismo profissional, a Team Novo Nordisk, em que todos os corredores também são diabéticos. Também li a história de um ciclista italiano, Mauro Talini, que era diabético tipo 1 e estava percorrendo as Américas. Enfim, isso é só pra dizer que basicamente não há limitações para os diabéticos, como esses exemplos mostram.

Que Deus o ajude na superação desse desafio!

Um abraço