domingo, 21 de junho de 2015

Novo projeto - Bike full suspension.

Olás, meus amigos e minhas amigas!

Tempos atrás, conversando com o Fábio Almeida sobre as minhas dores lombares, que volta e meia retornam e me incomodam sobremaneira, ele comentou sobre um amigo comum que contornou esse problema quando migrou para uma bike full suspension.
Daquele momento em diante passei a pensar no assunto mais profundamente. Lembrei que numa de minhas cicloviagens, quando eu retornava pela Rodovia Airton Senna, encontrei um ciclista que vinha numa full, desde São José dos Campos, com destino a Guarulhos, onde residia alguns de seus familiares. Como bom observador, sem fazer comentários, notei que a Caloi SK que ele usava não tinha nada de original. Aparentemente foram trocados freios, cassete, trocadores, etc., tudo para uma linha mais top da Shimano.
Durante o trecho que pedalamos juntos no acostamento da rodovia, perguntei-lhe sobre como era pedalar numa full e a resposta foi muito positiva. Conforto, conforto, conforto!
Sobre a perda de energia na pedalada, em comparação com uma bike hard tail, ele não soube precisar, mas disse que saíra de uma bike "normal", com a qual ele já fizera o mesmo trecho, e não notara esse tipo de diferença. Se há, é mínima.

Conversei também, através do Messenger, com a pessoa citada pelo Fábio e ele corroborou o que dissera o Fábio: Suas dores lombares se extinguiram a partir do momento que passou a usar a bike full.

Comecei a pesquisar quadros de full na Internet e vi que haviam várias opções até de bikes montadas, com um bom preço. 
Como a grana estava mais curta que coice de porco, coloquei na cabeça que, para montar uma bike full eu precisava vender alguma coisa que eu não iria mais usar. Assim vendi o quadro da Mentika, pois, além de eu não mais estar usando essa bike, era um quadro de cromoly, da marca TREK, que me renderia a grana suficiente até para comprar uma SK já montada. Contudo, como me sobrariam todas as peças da Mentika e se tratavam de peças top, optei por pesquisar apenas a compra de um quadro. 
Não demorou e encontrei o que eu queria e por um bom preço! Um ciclista, ora amigo, tinha um quadro e garfo em ótimo estado para vender!...
Comprei!!!


Adoro a cor azul! Deu certíssimo para o meu gosto!



A caixa central será trocada por uma caixa selada Shimano, que eu já usava na Mentika.




O garfo/suspensão já foi lubrificado e se encontra em perfeito estado.




Gostei porque a caixa de direção que veio no garfo é de rolamento e está em perfeito estado. Honestamente melhor do que a que eu estava usando na Mentika.

Com a grana que sobrou, comprei os aros 26", da Vzan, modelo Aero, com folha dupla e raios inox. Na Mentika eu usava aros 700c. Depois dessa aquisição, ainda sobrou uma graninha, hehehe! 
Os pneus, por ora, vou usar um par de Kenda, com cravos, que eu tenho desde 2008 e estão novinhos. Câmara de ar 26" eu tenho um monte!
As demais peças serão reaproveitadas da Mentika.
Assim, terei uma Caloi SK com freios a disco mecânicos, rotores de 203 mm, 27 velocidades e guidão borboleta canadense. O selim vou usar um Koruma de Velo, que apesar de meio surrado, é muito macio.
A principio a ideia é usar a bike para pedais urbanos e treinamentos, mas se eu achá-la aprovada para cicloturismo, meto ela na estrada! Um bagageiro para full já foi bolado e será providenciado em breve. O bagageiro dianteiro serve sem a necessidade de adaptações, pois a suspensão tem o furo central na ferradura e é provida dos bosses de freios V-brake.

Em suma, honestamente prefiro perder um pouco de performance na pedalada e chegar aos meus destinos sem dores lombares!

Bom, por ora vou ficando por aqui. Assim que tiver mais fotos da bike já montada posto aqui para vocês verem.

(Para ir para a segunda parte, clique aqui SEGUNDA PARTE)

Por ora, um grande cicloabraço do...





2 comentários:

Mário Trindade disse...

Nem mais meu caro, então ele há melhor que uma FS para viajar? Bicicleta mais pesada sim mas mais conforto, e em azul tal como eu maravilha. Mas atenção que não vai carregar casa às costas tá? Há que ser espartano naquilo que leva, eu tenho vindo sempre a reduzir, no futuro nem fogão e essas coisas de fazer comer. Máximo que eu carrego (à saída de casa) são 8kgs no bagageiro fixado no espigão do selim e uns 4/5 no saco de guiador. Só viajo em tempo sem chuva. Veja possibilidade de instalar amortecedor a ar.
Abraço.

Gilmar Doistempos disse...

Legal Waldson, voce me fez rir com o
texto "grana curta como coice de porco" :)

To na torcida pra que suas expectativas se
realizem e que rendam novos relatos.

---

Gostei do tema verde do blog. Ficou mais
facil pra ler o texto.

[]s Gilmar