quarta-feira, 2 de abril de 2014

Rumo ao Mirante da Serra do Mar!

Domingo, 30 de março de 2014, o despertador do celular "berrou" às 4 da manhã! Caramba, eu mal acabara de encostar a cabeça no travesseiro e aquele malvado celular estava berrando que nem um louco!
Acordei, quase pisei no danadinho de raiva, mas aí me dei conta que era por uma boa causa: Pedalar na companhia agradável de velhos e novos amigos! Quem é que pode resistir a um evento tão saudável e prazeroso mesmo que seja para acordar ás 4 da manhã?!



Tudo começou quando o Emerson me convidou dizendo: "Antigão, estamos organizando um ciclopasseio para o Mirante da Serra do Mar, você topa? E completou dizendo: Será uma ótima oportunidade para você reestrear no cicloturismo, após ter estado ausente por uns bons meses."
Opa, Se é para o bem da nação ciclística e felicidade geral de todos, diga a galera que eu topo!!!
E assim marcamos para nos encontrarmos na casa dele por volta das 6 horas da manhã do dia 30/03. 

Eu programei sair de casa ás 5h, já que iria pedalar por 4,5 Km até a casa dele, mas tinha que levantar mais cedo para terminar de preparar o patê de sardinha que eu iria levar como lanche.
Aliás, diga-se de passagem esse patê fez um sucesso danado entre a galera que o degustou.

A princípio, do lado da Vila Antonieta só tinha eu no esquema, mas bastou eu comentar sobre o passeio e já pintou mais 4 destemidos pedalantes que confirmaram presença: O Walter, o jovem Aquiles seu filho, o Fábio vizinho e seu sogro, Sr. Luiz.
O WhatsApp comeu solto nos dias que se seguiram!

Eram 5 horas da manhã do dia aprazado e todos estávamos prontos no portão da minha casa. Lanternas e faróis acessos, logo saímos pedalando naquela manhã fresca e agradável. Eram 5,32h quando chegamos à casa do Emerson, onde a Bia sua noiva também nos esperava.

Ainda é noite e esses ciclistas todos eufóricos só esperando 
para por suas bikes na estrada, hehehe!


O Emerson dando os últimos retoques na bike recém montada para o ciclopasseio.


Logo chegaram o Igor e o Felipe. Este último novato, que faria seu "batismo" na estrada.

Todos juntos, sorrindo e curtindo aquele domingo todo especial, saímos pedalando por Utinga, Santo André até atingirmos a Via Anchieta, rodovia que faz acesso de São Paulo ao Litoral Sul paulista.










Já estávamos em 8 bikers e os demais que estavam para se juntar ao grupo estavam atrasados. O Emerson fez contato com eles, via celular, e ficamos de nos encontrar no Riacho Grande, ao lado da Represa Billings.




Aproveitamos a estada no Riacho Grande para reabastecermos a água, ir ao banheiro, tomar um café e tirar algumas fotos.













Quando chegou o resto da galera, nem lembro se contei direito, mas parece que estávamos em 17 ou 18 pessoas! Tomamos conta do pedaço, hehehe!

Galera reunida, apito na boca para abrir caminho entre os carros e lá fomos nós sentido litoral, até o alto da Serra, onde acessaríamos o tão almejado mirante.

Estrada vai, estrada vem, muito bate-papo e muita alegria, lá vamos nós. A princípio confesso que fiquei um tanto apreensivo com a minha performance, afinal eu vinha de uma longa abstinência. Do dia 4 de dezembro de 2013 até aquela data eu pedalara apenas 30 Km num treino recente, no Parque do Carmo. Agora que minha coluna estava em Paz comigo eu duvidava se as minhas pernas aguentariam o percurso. Mas o ritmo do pessoal estava tranquilo e eu os estava acompanhando numa boa, sem ter ao menos que descer da bike para empurrar nas subidas.










Chegamos a entrada da estrada que dá acesso ao mirante e aí veio a grande surpresa: Não poderíamos passar sem autorização prévia!!!
Há uma guarita com guardas que impediram a nossa passagem.

A placa com a informação foi pichada por alguém inconformado!







Olha o passarinho!!!



A princípio também ficamos inconformados, tentamos argumentar com os guardas mas eles estavam irredutíveis: Para seguir adiante só com a prévia autorização!
Acabamos por acatar o que nos era imposto no momento e houvemos por bem retornar ao Riacho Grande, onde faríamos um lanche à beira da represa.
Tentar burlar a norma naquele momento poderia nos trazer sérios dissabores tornando um passeio tão agradável em grande dor de cabeça.

Assim, voltamos pedalando em grande estilo, curtindo a estrada e as paisagens a nossa volta.






Nos despedimos de parte da galera, após o pic-nic à beira da represa, onde alguns até deram um mergulho para refrescar.


Na volta, assim que pegamos a saída para Santo André, São Pedro mandou água sobre nós! Chuva torrencial. Tinha ruas que a gente pedalava sem ver o asfalto, tamanha era a quantidade de água que havia sobre o mesmo. Paramos umas poucas vezes, mas sempre dizíamos uns aos outros, "Já estamos molhados, mesmo, vamos embora!" E então saíamos debaixo do temporal.
Tive que parar diversas vezes, pois como uso óculos e estava sem o meu boné impermeável (não sei por que fui esquecê-lo e peguei um novo!!!), a toda hora as lentes ficavam cheias de gotas e eu não via mais nada.
Mas, como chuva não quebra ossos, dávamos risada e continuávamos pedalando. Assim, chegamos em casa. Ensopados, mas felizes!

Foram 84 Km pedalados em ruas e estradas.
Alguém foi ao chão, o que resultou apenas em risos e alguns ralados. Graças a Deus nada de grave.
Alguns pneus furados, canote de selim torto, mas tudo bem, nada que alguns Reais não resolvam para quem teve esses prejuízos.

Parabenizo aos amigos estreantes Felipe e ao jovem Aquiles, que se portaram brilhante e bravamente diante dos obstáculos.

De minha parte eu agradeço a Deus por me permitir esse ciclopasseio em companhia de pessoas tão amigas e tão agradáveis. Fui e voltei de boa. Um pouco cansado, talvez, mas muito feliz. 
Foi prazeroso conhecer pessoalmente pessoas que eu só conhecia de nome, Facebook, etc.
Agradeço a todos os amigos(as) participantes e em especial ao parceiro e amigo Emerson pelo convite.
Logo, logo, faremos outro, se Deus quiser!


5 comentários:

Carlos Alberto DUARTE disse...

Bom dia Antigão.
Que bom que correu tudo bem com sua coluna!!!
E voltando à ativa com esta turma boa, é só felicidade.
Parabéns e muita saúde para continuar pedalando muito!
Eu andei fazendo pequenas viagens lá pelas bandas de minha terra natal, Pará de Minas.
Pelo jeito, 2014 promete.
Abraços

Gabriel Panta disse...

O legal é que ao invés de haver frustração por não poder chegar no destino, vcs tornaram o caminho até lá no grande protagonista do passeio. Gostei!

Waldson Gutierres disse...

Obrigado gente!
Esse foi um pedal renovador.

Muito legal mesmo!

Grande abraço!

Gilmar Doistempos disse...

Turma animada, passeio divertido, parabens a
todos voces :)

Que bom Waldson, que voce conseguiu fazer bem
essa viagem, sinal que futuros relatos virao ;)

---

Quanto a voces serem barrados no caminho que
dava destino ao mirante, e' uma pena, mas isso
vem acontecendo a algum tempo no estado de Sao
Paulo. Com o turismo virando negocio de Estado,
com o espalhar sem fim daquelas plaquinhas
marrons (ate' em alguns lugares cujo o potencial
turistico e' questionavel, como os mangues de
Praia Grande/SP), certamente essas atitudes
virarao rotina se nao nos posicionarmos contra
e exigirmos que nosso antigo direito de ir e
vir seja restabelecido.

Lembro que em Mongagua/SP, em 197X o poco das
Antas foi um lugar livre, sem catraca ou
bilhetes na entrada. La' pelo final dos anos
198X "urbanizaram" e comecaram a cobrar
entrada.

Pesquisei com uns amigos antigos pra refazermos
um cicloturismo subindo a estrada velha de
Cubatao ate' Paranapiacaba, como fizemos por
volta de 1990. Minha surpresa e' que a estrada
agora e' particular e cicloturismos, existem,
para poucos porque custam caro! A estrada que
antes era publica agora e' de poucos.

Se essa tendencia virar moda, logo teremos que
pagar pra entrar no Horto Florestal em SP ou
ate' mesmo no parque do Carmo que voce volta
e meia nos traz. Extrapolando ainda mais,
teremos que pagar pra entrar ate' nas praias.

E' bom ficarmos alertas e protestarmos juntos
aos nossos representantes publicos: vereadores,
prefeitos, deputados e senadores que ajudamos
a eleger.

[]s ;)

Tony Carlos disse...

Ô Waldson, seu grupo anotou o e-mail da placa que estava vandalizada? Pois é bem simples conseguir a autorização! Eu consegui a minha para domingo 25/05/2014 mas por causa do tempo não vou poder ir... Sobre a autorização como foi comentado acima, é necessário pois o mirante é na usina hidrelétrica, e em outros países estes locais são considerados área de segurança, confesso que só agora compensa ir até lá com certa segurança, pois antigamente como andaram espalhando na web, era só dar "uma caixinha" para o segurança que conseguia passar... Deprimente ler isso, por isso agora o bloqueio. Sobre a estrada velha de Santos é a mesma coisa, inclusive li ontem que um colega em comum, o Joaozinho Menininho conseguiu a devida autorização (sem nenhum custo, diga-se de passagem) para a visitação nessa estrada, o mesmo foi pedalando até a portaria e fez o percurso a pé com os demais visitantes pela razão de ser proibido pedalar naquele trecho, só não fui até lá pois a subida é de matar... E a pé!