domingo, 6 de março de 2011

Pedalar aos domingos é mais que simplesmente pedalar.

Olás,

Que semana para os paulistas! Foi uma semana de longo e tenebroso inverno! Mas, deixando os exageros de lado, pois nem no outono ainda estamos (quanto mais inverno!), foi uma semana de muita chuva e enchentes. Até as pessoas ficaram "cheias"!

Como fui me deitar com chuva, hoje pela manhã nem coloquei o celular para despertar. Acordei por volta das 7:30 hrs da manhã, esfreguei os ólhos ainda na cama e vislumbrei por entre as frestas da janela um vislumbre de sol. Isso mesmo, sol!
Sol???!!! Saltei da cama como um bólido e fui para o banheiro olhar pelo vitrô. Não, eu não estava sonhando havia sol lá fora!

Me preparei rapidamente e 45 minutos depois eu já estava pedalando em direção ao Parque do Carmo, meu local preferido para pedalar aos domingos.
Um parque bem policiado, com uma ciclovia que apresenta planos, subidas íngremes e boas descidas. Tudo em apenas 6 Km. Um Parque muito bem arborizado com esquilos fazendo manobras graciosas entre as árvores.


Além da ciclovia, há algumas "trilhas" em terra, também ótimas para pedalar. Como choveu bastante nessa semana, evitei as vias barrentas, embora a estradeira esteja até de "para-barros", como vocês podem ver na foto. Uma verdadeira bike estilo "retrô", bike de "Tiozão", hehehe.



Foi um domingo especial, pois tive o prazer de encontrar amigos e fazer novos amigos, dentre os quais posso citar o Sérgio. Este jovem veio pedalando das imediações de Pariquera Açu-SP, pela Rodovia BR-116, Régis Bittencourt até a Zona Leste de São Paulo.




Além da bicicleta "tunada", achei interessante o rádio/MP3 que ele adaptou ao guidão para vir ouvindo música, sem usar fone de ouvido, dado o perigo que esse hábito representa para o ciclista. O Rádio usa baterias de celular e ele trouxe três, as quais ia carregando nos posto de combustíveis pelo caminho. Instalou um Pendrive, de maneira que pôde vir ouvindo centenas de músicas estradas afora.

Detalhe do rádio no guidão. 
A sacola branca serve para 
cobrir o rádio no caso de chuva.
 Conheci também um rapaz (Pô, peço desculpas, pois esqueci o seu nome!) de Itaquera que está voltando aos pedais e um jovem com uma Caloi SK que ficou ouvindo as nossas histórias de cicloturismo e me pareceu bastante interessado nessa modalidade. 
Combinamos de nos encontrarmos outras vezes no Parque e pedalarmos juntos. O Sérgio disse que, se conseguir um emprego em Sampa, também irá pedalar conosco.

Costumo voltar antes do término da feira livre, onde acompanho a patroa. Mas, neste domingo o papo estava tão bom que a hora passou e eu nem percebi! Cheguei em casa minha filha já tinha saído com a esposa para irem á feira.

Mas é assim mesmo. Quem pedala aos domingos sabe que é um dia diferente. Domingo é um dia de encontrar os amigos de pedal, nem que sejam os amigos de pedal de fim-de-semana apenas para bater aquele longo e agradável papo.
Estou começando a acreditar que o domingo é dia de deixar o ciclocomputador de lado; pedale 10 ou 100 Km, o pedal dominical, juntamente com os amigos é o que realmente importa.





3 comentários:

Trindade disse...

Por aqui também está chovendo bastante, mas mal vislumbrei hoje de manhã um rasgo de sol lá fui eu.
Até foi muito bom regressar para casa debaixo de chuva.
Está vindo sol de novo, XAU!...
(Isto é ciclo-dependência)

Carlos Bernardo disse...

Olá amigão!
Belas pedaladas nesse magnifico parque, o que importa é a gente se mexer. Uma das boas coisas do cicloturismo é se conhecer outras pessoas que t~em o mesmo hobby .
essa bike do rapaz aí tá uma ideia original , ele assim pode escutar musica sem perder o ruido da estrada.
Um abraço aqui do cicloturista.

dribow disse...

Muito bacana seu blog.
Venha para Taubaté pedalar na Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro que liga Taubaté à Campos do Jordão, a paisagem é muito bonita.
Um abraço!