sábado, 28 de maio de 2016

Enfim, tenho ou não tenho hérnia inguinal?

Olás, meus amigos e minhas amigas!

Boa tarde!

Como podem constatar, ando sumido do nosso Blog, das cicloviagens e mesmo dos pedais de fim de semana. Não consegui ainda me livrar da hérnia inguinal (se é que é isso que eu tenho!) e poder voltar aos exercícios físicos, os quais incluem as prazerosas pedaladas.



Esta semana abri o quartinho das bicicletas para pegar um recipiente. Parei e fiquei olhando para as minhas bikes (Nanika e Full) ali trancafiadas há meses. Apalpei os pneus das mesmas: estavam murchos. Fiquei ali parado, imóvel, olhando para elas,  enquanto meu pensamento voava e visualizava as cicloviagens passadas... Ah, quantos momentos de felicidade essas danadinhas já me proporcionaram! Está certo que nem cheguei a cicloviajar com a Full, mas, exceto o quadro, todas as demais peças já estiveram na estrada comigo, montadas em outros quadros. Hoje estou aqui forçado ao sedentarismo por problemas de saúde.



Tudo começou quando numa manhã acordei com dores na virilha. Pensei tratar-se de uma íngua devido a algum ferimento. Mas, se não há ferimento como pode haver uma íngua. A princípio não dei muita bola, esperando que no dia seguinte a dor desapareceria da mesma forma como apareceu.
No dia seguinte a dor continuava lá, pior, estava mais forte! Após alguns dias e vendo que a dor não passava, resolvi ir ao PS do Hospital Benedicto Montenegro, próximo á minha residência.
No hospital fui atendido pelo médico de plantão, que calçou  luvas,  me examinou fisicamente e disse tratar-se de uma hérnia. Desculpou-se por não ter como pedir para fazer uma ultrassonografia e sugeriu que eu o fizesse por meus próprios meios, de maneiras a confirmar o diagnóstico. Sugeriu que eu não pegasse peso e não fizesse nenhum tipo de exercício físico.

Na semana seguinte fui ao Laboratório Lavoisier e fiz a ultrassonografia, a qual confirmou o diagnóstico: Hérnia inguinal!. Nesse ínterim as dores foram ficando cada vez piores e, após uma semana resolvi procurar um hospital, onde eu soube que fazem constantes cirurgias de hérnias.
No Hospital Estadual de Vila Alpina - HEVA - fui encaminhado ao setor de Cirurgia Geral, onde três jovens cirurgiãs me examinaram fisicamente. Segundo elas, não detectaram nenhuma hérnia inguinal em minha virilha. Perguntei-lhes sobre o diagnóstico médico anterior e o resultado da ultrassonografia que apontaram para hérnia inguinal. Elas responderam que os diagnósticos estavam errados e eu poderia estar com problemas urológicos. Pediram então um encaminhamento para o médico urologista do AME BARRADAS, 




No dia aprazado fui para o AME BARRADAS, onde fui muito bem recepcionado. Um local enorme, muito bem limpo e organizado. No horário marcado o médico urologista me atendeu. Um senhor de meia idade que ouviu pacientemente a razão que me levara até ele e então resolveu me examinar fisicamente, como fizeram as jovens cirurgiãs no hospital HEVA. Assim que terminou o exame físico, olhou para mim e exclamou: "Você tem uma hérnia aí! Você não tem problemas urológicos!" Continuou dizendo: "Mas já que está aqui, vamos pedir alguns exames de sangue, ultrassonografia dos rins e próstata e encaminhá-lo para a Cirurgia Geral".
Caramba, pensei ao sair da sala, tenho ou não tenho essa tal de hérnia inguinal?

Dias depois estive no AME para fazer a coleta de sangue e ultrassonografias. Tudo bem com o exame de sangue e negativo para as ultrassonografias, graças a Deus! Rins e próstata OK.
Mais uns dias e lá estava eu diante da Dra. Cirurgiã, para ser examinado novamente. Levei todos os exames anteriores, os quais ela examinou, fez uma bateria de perguntas e pediu para que eu ficasse em pé e abaixasse a roupa. Pronto, lá vem o exame físico outra vez! pensei. Dito e fato, a médica calçou luvas e examinou detalhadamente a região afetada. Ao término do exame, olhou para mim e disse: "Seu Waldson, não constatei nenhuma hérnia inguinal". Ah, não, outra vez, não!!! Caramba, cada exame físico é uma dor lascada! Os médicos não têm dó, apalpam fortemente a região afetada e dói prá caramba!
Voltou para sua mesa e, enquanto eu me vestia, preencheu novos pedidos de exames de sangue e ultrassonografia a fim de confirmar mais uma vez o diagnóstico de hérnia inguinal. Falei que já fizera um exame de sangue, mas ela disse que esse era específico, pois como sou diabético precisava se prevenir em caso de intervenção cirúrgica.

Assim aqui estou, ainda sem diagnóstico confirmado. Agora no mês de junho tenho retorno com urologista, com a cirurgiã e farei os exames por ela solicitados.
A grande vantagem desse AME é o fato de tudo ser marcado com a devida antecedência.

Só me resta ter fé em Deus e esperar que tudo se acerte, que o diagnóstico saia o mais rápido possível para que providências sejam tomadas no sentido de resolver logo esse problema. Já engordei alguns quilos e me sinto algemado, sem pode praticar exercícios físicos.

Por ora é só e assim que houver novidades prometo postar aqui para que todos os nossos leitores amigos e amigas possam acompanhar. 

Enfim, um grande cicloabraço do...




7 comentários:

Henrique LS disse...

Leio seu blog a um tempo. Força ai! Também tenho problemas de saúde que ocasionalmente me impedem de pedalar por um tempo, ficando só na vontade. Mas não se esqueça, que mesmo não sabendo, você é exemplo para muita gente. (tipo eu rsrs).

pedalnativo disse...

Caramba, que sinuca! Espero que siga enfrentando com força. Grande abraço e boa sorte!

Waldson Gutierres disse...

Olá, Henrique LS, boa tarde!

Fico honrado em saber que sirvo de exemplo para meus amigos que também gostam de pedalar. Graças a Deus, com isso estou atingindo meus objetivos que é "contaminar" a todos com o "vírus" da pedalada, hehehe!
Obrigado pelas palavras de incentivo e por prestigiar o nosso Blog.
Grande cicloabraço do Antigão!

Waldson Gutierres disse...

Grande amigo e parceiro Fábio (Pedal Nativo), boa tarde!

Você viu que sinuca de bico? Mas tudo bem, agora em junho farei uma nova ultrassonografia e espero que essa realmente confirme um simples hérnia, pois dessa forma posso operar e ficar bom até o final deste ano. Preciso pedalar, meu amigo, pois estou engordando e isso não é bom.

Grande cicloabraço e vamos ver se volto logo para a gente refazer a Serra da Bocaina.

Gilmar Doistempos disse...

Bom ter noticias suas Waldson. Ja' estive
por aqui algumas vezes a procura das novidades.

E' de chorar de vergonha esse conflito de
diagnosticos.

Forca nas provacoes e que voce consiga uma
melhora das dores.

[]s Gilmar

Waldson Gutierres disse...

Obrigado, Gilmar!

Realmente essa história de "ter ou não ter eis a questão" está ferrando a minha vida, hehehe! Não posso praticar exercícios por ordem médica e, também porque se o fizer, sintirei dores e inchaço na virilha. Já engordei alguns quilinhos por conta da inércia. Se já houvesse um diagnóstico preciso, já estaria até com cirurgia - ou não! - marcada. Este ano praticamente não coloquei o pé num pedal de bicicleta, infelizmente.
Mas, vamos vivendo na e pela fé, esperando em Deus que, no mais breve possível, tudo dará certo.
Como dizem os gozadores: "No fim dá tudo certo. Se não der é porque ainda não é o fim", ahahahah! (Melhor rir do que chorar!)

Obrigado pelas palavras de incentivo e por sempre prestigiar o nosso Blog!

Abraços do Antigão!

URIANHELP SCENT O PERFUME disse...

Estou lendo algo a respeito sobre hernia , sou ciclista , amo muito e tudo que faço é de bike, até sinto minhas bikers espiritualizadas, enfim tô percebendo um inchaço nessa região por vc mostrada só que sem dires mas ainda não procurei atendimento, a propósito sou seu vizinho e já trabalhei no Benedito monte negro. Abraços.